POR UM DIÁLOGO ENTRE AS CIÊNCIAS HUMANAS, BIOLÓGICAS, MUSICAIS E AS NEUROCIÊNCIAS NO TOCANTE À RELEVÂNCIA DA EDUCAÇÃO MUSICAL PARA A EVOLUÇÃO INFANTIL

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.22370/ieya.2022.8.1.2573

Palabras clave:

infancia, educación musical, aprendizaje significativo, formación integral

Resumen

Este artículo se propone a escudriñar las contribuciones pedagógicas de la educación musical para la formación integral del individuo, con vistas a estimular su aplicabilidad desde la primera infancia. Nos basamos en el diálogo comparativo entre neurociencias, ciencias humanas, biológicas y musicales, a partir de un análisis bibliográfico cualitativo de concepciones teórico-críticas de especialistas en diferentes áreas del conocimiento: Neurociencias, Medicina, Psicología, Fonología, Musicología y Educación. Abordamos los aspectos históricos y culturales inherentes a la educación musical, avanzando para la influencia de estímulos musicales para el desarrollo cerebral, para enfocar, por fin, en las contribuciones cognitivas y socioemocionales oriundas de los estímulos musicales, lo que justifica su relevancia en la experiencia educativa contemporánea, a partir de la mediación docente. Averiguamos que la educación musical actúa en la promoción del aprendizaje significativo y progreso del infante en sentido global. 

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Citas

Albornoz, Y. (2009, janeiro). Emoción, música y aprendizaje significativo. Educere, 13, 44, 67-73. Recuperado de: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=35614571008

Albuquerque, A.A. (2019, março). A música como instrumento de aprendizagem. Educar FCE-(CDD 370), 18, 1, 121-131. Recuperado de: https://www.fce.edu.br/pdf/ED18-revista.pdf

Alves, R. (2004). O desejo de ensinar e a arte de aprender. Campinas: Fundação EDUCAR Dpaschoal.

Amaral, A. C. T. (2018). Reflexões sobre a infância como construção social. En. C. Moro e G. Souza (Orgs). Educação infantil: construção de sentidos e formação. (pp. 15-30). Curitiba: NEPIE/UFPR.

Amato, R. F. (2016). Escola e educação musical: (Des)caminhos históricos e horizontes. Campinas: Papirus.

Araújo, K. K. S. (2017). A contribuição da música para o desenvolvimento e aprendizagem da criança. Brasil Escola. Consulta realizada 20 de nov. 2020. https://monografias.brasilescola.uol.com.br/pedagogia/a-contribuicao-da-musica-para-desenvolvimento-e-aprendizagem-da-crianca.htm

Ausubel, David. (1963). The Psychology of Meaningful Verbal Learning. Nova York: Grune & Stratton.

Azcárate, M. T. M. e Afanador, D. A. (2016, junho). Aprestamiento: Saberes y practicas de una experiencia em educacion musical para la primeira infancia. (pensamiento), (palabra). Y Obra, 16, 16. doi: https://doi.org/10.17227/ppo.num16-3979

Barros, R. M. R., Marques, L. C. e Tavares, L. S. P. (2018, janeiro). A importância da música para o ensino-aprendizagem na educação infantil: reflexões à luz da psicologia histórico-cultural. En: IV Colóquio Luso-Brasileiro de Educação – COLBEDUCA, 3, 1-21. Recuperado de: https://www.revistas.udesc.br/index.php/colbeduca

Bennett, R. (1987). History of music. Cambridge: Cambridge University Press

Betti, L. C. N., Silva, D. F. e Almeida, F. F. (2013). A importância da música para o desenvolvimento cognitivo da criança. Revista Interação, 1, 2, 96-114. Recuperado de: https://docplayer.com.br/4224486-A-importancia-da-musica-para-o-desenvolvimento-cognitivo-da-crianca.html

Binow, S. V. (2010, abril). A Musicalização no processo ensino-aprendizagem na educação infantil e séries iniciais. Universidade Luterana do Brasil – ULBRA, n.p. Recuperado de: https://www.webartigos.com/artigos/amusicalizacao-no-processo-ensino-aprendizagem-naeducacao-infantil-e-seriesiniciais/35818/

Borislova, N. B. (2017, junho). Desarrollo de la creatividad em la primaria a partir del cuento musical. RIDE. Revista Iberoamericana para la Investigación y el Desarrollo Educativo, 7, 14, 265-298. doi: https://doi.org/10.23913/ride.v7i14.284

Brasil. (1998). Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, v. 3.

Brochado, M. (2016). Educação musical no Brasil na atualidade: desafios e perspectivas. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, 11, 3, 1372-1388. doi: https://dx.doi.org/10.21723/riaee.v11.n3.7453

Bueno, R. (2011). Pedagogia da música. São Paulo: Keyboard Editora Musical Ltda.

Casarotto, F. D.,Vargas, L. S. e Mello-Carpes, P. B. (2017, outubro). Música e seus efeitos sobre o cérebro: uma abordagem da neurociência junto a escolares. Revista ELO – Diálogos em Extensão, 6, 2, 55-60. doi :https://doi.org/10.21284/elo.v6i2.243

Center on the Developing Child at Harvard University (2019). A Guide to Serve and Return: How Your Interaction with Children Can Build Brains. Recuperado de: https://developingchild.harvard.edu/guide/a-guide-to-serve-and-return-how-your-interaction-with-children-can-build-brains/

Chiarelli, L. K. M. e Barreto, S. J. (2005, junho). A música como meio de desenvolver a inteligência e a integração do ser. Revista Recre@rte, 3, 1-10. Recuperado de: http://www.iacat.com/Revista/recrearte/recrearte07/Seccion3/3.cm.%20%20m %C3%Basica. %20LIGIA.pdf

Curso de Música Licenciatura da UFAL (2020, maio). Prosa, Café e Música: Panorama histórico-político da Educação Musical no Brasil [Arquivo de Vídeo]. Recuperado de: https://www.youtube.com/watch?v=W4FJ6xk3XUQ&t=476s

Delalande, F. (2019). A música é um jogo de criança. São Paulo: Peirópolis.

Duarte, B. S. e Batista, C. V. M.(2015). Desenvolvimento infantil: Importância das atividades operacionais na educação infantil. En: XVI Semana da Educação e VI Simpósio de Pesquisa e Pós-graduação em Educação. Docência: Saberes e Práticas, 292-306. Recuperado de: http://www.uel.br/eventos/semanaeducacao/pages/arquivos/ANAIS/ARTIGO/SABERES%20E%20PRATICAS/DESENVOLVIMENTO%20INFANTIL.pdf

Freire, P. (2001). Política e educação (5ª ed. Coleção Questões de Nossa Época) São Paulo: Cortez.

______. (2000). Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: UNESP.

______. (1996). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. (15ª ed). São Paulo, Brasil: Paz e Terra.

______. (1987). Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra.

______. (1967). Educação Como Prática da Liberdade. São Paulo: Paz e Terra.

Gadotti, M. (2007). A escola e o professor: Paulo Freire e a paixão de ensinar. São Paulo: Publisher Brasil.

Gardner, H. (1994). Estruturas da mente: A teoria das inteligências múltiplas. Porto Alegre: Artes médicas.

Ilari, B. (2010). Cognição musical: origens, abordagens tradicionais, direções futuras. En: B. Ilari e R. C. Araújo (Orgs). Mentes em música. (pp. 11-33). Curitiba: Editora UFPR.

______. (2003, setembro). A música e o cérebro: Algumas implicações do neurodesenvolvimento para a educação musical. Revista da ABEM, 9, 7-16. Recuperado de: http://www.abemeducacaomusical.com.br/revistas/revistaabem/index.php/revistaabem/article/view/395/322

Junior, A. P. A. O. e Cipola, E. S. M. (2017). Musicalização no processo de aprendizagem infantil. Revista Científica UNAR, 15, 2, 126-141. Recuperado de: http://revistaunar.com.br/cientifica/volumes-publicados/volume-15-no-2-2017

Maffioletti, L. A. (2013). Significações que possibilitam a compreensão musical. En: B.

Ilari e A. Broock (Orgs.), Música e educação infantil (pp. 156-184). Campinas, Brasil: Papirus.

Meirelles, A., Stoltz, T. e Lüders, V. (2014, junho). Da Psicologia Cognitiva à Cognição Musical: um olhar necessário para a educação musical. Revista música em perspectiva, 7(1), 110-128. doi: http://dx.doi.org/10.5380/mp.v7i1

Muszkat, M. (2019, novembro). Música e Neurodesenvolvimento: em busca de uma poética musical inclusiva. En. M. Z. Cunha (Coord.). Literartes, 1(10), 233-243. Recuperado de: http://www.revistas.usp.br/literartes/issue/view/10938

Muszkat, M. (2012). Música, neurociência e desenvolvimento humano. En R. R. Allucci, G. Jordão, S. Molina e A. M. Terahata (Coord.), A música na escola. (pp. 67-71). São Paulo: Allucci & Associados Comunicações.

Moreira, M. A. (2012, março). ¿Al final, qué es aprendizaje significativo?. Revista Qurriculum, 25, 29-56. Recuperado de: https://riull.ull.es/xmlui/bitstream/handle/915/10652/Q_25_%282012%29_02.pdf?sequen

Novak, J.D. & Gowin, D.B. (1996). Aprender a aprender. Lisboa: Plátano Edições Técnicas.

Oliveira, A. M., & Zarattini, P. F. (2019, novembro). Fundamentos da aprendizagem significativa e o papel do educador. Faculdade Sant’Ana em Revista. En: Jornada Científica dos Campos Gerais, 17, 1-4. Recuperado de: https://www.iessa.edu.br/revista/index.php/jornada/article/view/1701

Oliveira, A. P. G., Lopes, Y. K. S. e Oliveira, B. P. (2020, janeiro). A importância da música na educação infantil. REVISTA EDUCAÇÃO & ENSINO, 4, 1, 46-61. Recuperado de: http://periodicos.uniateneu.edu.br/index.php/revista-educacao-e-ensino/article/view/59

Oliveira, F. L. (2019, março). A música no contexto da Psicopedagogia e a utilização de instrumentos musicais como ferramentas de aprendizagem. Educação Pública, 20, 10, Recuperado de: https://educacaopublica.cecierj.edu.br/artigos/20/10/a-musica-no-contexto-da-psicopedagogia-e-a-utilizacao-de-instrumentos-musicais-como-ferramentas-de-aprendizagem

Oliveira, R. L. G. (2009, outubro). A inserção da música na educação infantil e o papel do professor. En: IX Congresso Nacional de Educação – Educere, 2009, 4667-4678. Recuperado de: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2009/3412_1722.pdf

Pires, D. C. (2019). História da música: Antiguidade ao barroco. Indaial: UNIASSELVI.

Queiroz, C. L. S. e Falcão, M. S. M. (2017). Autonomia e educação infantil: Uma análise sobre a concepção de autonomia nos centros municipais de educação infantil de Paranaguá. En: XIII Congresso Nacional de Educação Educere, 2017, 5655-5671. Recuperado de: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/23726_14002.pdf

Rizzo, S. C. e Fernandes, E. (2018, outubro). Neurociência e os benefícios da música para o desenvolvimento cerebral e a educação escolar. Revista de Pós-Graduação Multidisciplinar, 1, 5, 13-20. doi: 10.22287/rpgm.v1i5.793

Rodrigues, E. R. (2017, dezembro). A importância da música no processo de aprendizagem da criança na educação infantil. Revista Científica Semana Acadêmica (Ed. 000118), 1, 1-7. Recuperado de: http://semana.7links.info/artigo/importancia-da-musica-no-processo-de-apredinzagem-da-crianca-na-educacao-infantil-0

Rosa, N. S. S. (1990). Educação musical para a pré-escola. São Paulo: Editora Ática S.A.

Said, P. M. e Abramides, D. V. M. (2019, março). Efeito da educação musical na promoção do desempenho escolar em crianças. Said et al. CoDAS, 32, 1, 1-7. doi: 10.1590/2317-1782/20192018144

Santos, L. S. e Parra, C. R. (2015, março). Música e neurociências – inter-relação entre música, emoção, cognição e aprendizagem. Psicologia.pt. Recuperado de: https://www.psicologia.pt/artigos/ver_artigo.php?codigo=A0853

Scherder, E. J. A., Jaschke, A. C. & Honing, H. (2018, fevereiro). Longitudinal Analysis of Music Education on Executive Functions in Primary School Children. Frontiers in Neuroscience, 12, 103, 1-11. doi: https://doi.org/10.3389/fnins.2018.00103

Selent, A. C. e Koscheck, A. (2019, setembro). A música no processo de aprendizagem na educação infantil. Revista Gestão Universitária. Recuperado de: http://www.gestaouniversitaria.com.br/artigos/a-musica-no-processo-de-aprendizagem-na-educacao-infantil

Simões, S. N. (2016, setembro). A importância da educação musical em antigas civilizações e no Brasil com a aprovação da Lei nº. 11.769/2008. Revista Espaço Acadêmico, 16, 184, 85-101. Recuperado de: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/30118/17235

Soares, O. P., Cerveira, R. B. e Mello, S. A. (2019, maio). Educação musical na escola: Valorizar o humano em cada um de nós. Cad. Cedes, 39, 107, 125-138. doi: https://doi.org/10.23913/ride.v7i14.284

Sousa, P. C. P. (2018). O ensino da música na perspectiva da lei 11.769/2008: a experiência da Escola Municipal Comendador Hirayuki Enomoto, de Pereira Barreto/SP (Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Paranaíba, Brasil)

______. e Lourenço, R. (2017). Um breve histórico das Legislações sobre o ensino de música no Brasil. En: XII Sciencult, 7, 1, 358-370. Recuperado de: https://anaisonline.uems.br/index.php/sciencult/issue/view/65/showToc

Souza, D. (2016, agosto). Educação Musical ainda não acontece na escola pública. Por quê? [Blog] Santo Angelo. Recuperado de: <https://blog.santoangelo.com.br/educacao-musical-ainda-nao-acontece-na-escola-publica-por-que/>

Souza, G. M. e Pereira, T. J. (2014). Cultura Popular. Brasília, Brasil: Projeção

Teixeira, S. R. S. e Barca, A. P. A. (2019, janeiro). A organização do meio social educativo para a criação musical na educação infantil. Cad. Cedes, 39, 107, 73-86. doi: 10.1590/CC0101-32622019213241

Vigotsky, L. S. (2012). Imaginação e Criatividade na Infância. (J. P. Frois, Trad.). Lisboa: Dinalivro.

______. (2001). Psicologia pedagógica (P. Bezerra, Trad.). São Paulo: Martins Fontes.

______. (1998). A Formação Social da Mente: O Desenvolvimento dos Processos Psicológicos Superiores. (J. C. Neto, L. S. M. Barreto, S. C. Afeche, Trad. 6ª ed.) São Paulo: Martins Fontes.

W, Edgar (1981). El valor humano de la educación musical. Barcelona: Paidós.

Descargas

Publicado

2022-05-25

Cómo citar

Reinaldo da Silva, G. y De Farias Costa, C. (2022) «POR UM DIÁLOGO ENTRE AS CIÊNCIAS HUMANAS, BIOLÓGICAS, MUSICAIS E AS NEUROCIÊNCIAS NO TOCANTE À RELEVÂNCIA DA EDUCAÇÃO MUSICAL PARA A EVOLUÇÃO INFANTIL», Revista Infancia, Educación y Aprendizaje, 8(1), pp. 66–81. doi: 10.22370/ieya.2022.8.1.2573.

Número

Sección

Ensayos

Artículos similares

<< < 28 29 30 31 32 33 

También puede {advancedSearchLink} para este artículo.